Yanni, meu lindo, venha cá

Quando fui ao show de Yanni em 2012, uma criatura se levantou no meio de uma fala dele e pediu um beijo. Ele se levantou, chamou a corajosa e tascou o beijo, certo?

Eu e o Credicard Hall inteiro testemunhamos a cena. Para a grande maioria aquilo foi só um momento divertido no meio da apresentação. Mas para mim foi bem mais que isso.

Ao mesmo tempo em que achei o máximo a coragem daquela mulher, fiquei muito p da vida comigo, porque eu jamais faria algo parecido. Só o fato de pensar em tentar me dava um negócio na boca do estômago, sabe como?

Quase dois anos depois, estou decidida a ser a mulher beijada por Yanni no próximo show. Quando eu digo decidida, quero dizer primeiramente que vou (meu ingresso está comprado desde o ano passado).

Segundamente, que vou tomar uma dose de alguma coisa antes de ele começar. (Sim, sou daquelas que precisa de combustível alcóolico para conseguir realizar certas tarefas. Sorry.)

Terceiramente, ao menos teoricamente, munida de uma coragem que ainda não sei de onde vai sair, vou me levantar no meio do espetáculo e fazer o que aquela mulher fez: pedir um beijo.

O danado é que nem na minha cabeça eu consegui fazer isso ainda. Sabe quando você fecha os olhos, imagina uma cena e mesmo sendo a dona da história (sim, porque a imaginação é sua e você inventa com ela o que quiser, não é assim?) não consegue ir até o final? Pois pronto!

Quando, de olhos fechado, me vejo no meio do estádio do Ibirapuera, onde o show vai acontecer, em algum momento eu até me levanto. Mas fico lá igual a um dois de paus, parada, estática, sem fazer nada. E eventualmente eu me sento, porque a pessoa atrás de mim avisa que estou atrapalhando. Então abro os olhos. E fico tão irada comigo, mas tão irada, que nem sei explicar.

Tenho dois dias para visualizar melhor a arrumação e chegar ao Ibirapuera mais segura. Qualquer coisa, eu apelo para uma dose maior ou um líquido mais forte. Se nem assim eu conseguir meu intento, ao menos terei visto mais uma vez o homem da voz mais linda e dos dedos mais hábeis do meu mundo. E seguirei viagem feliz da vida.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Abobrinha. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Yanni, meu lindo, venha cá

  1. Theo disse:

    Boa Sorte! Ah coragem claudicante (rs)

  2. Theo disse:

    Pelo não visto, não rolou nada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s