Don Nemesio

No sábado, fui com Livinha ao Don Nemesio, um self-service que abriu em março na Rodrigues Alves. Lívia já tinha feito a maior propaganda do lugar e eu sei que isso é perigoso, porque gera expectativa, né? Como já estava curiosa, a ideia de ir lá no final de semana acabou sendo minha.

O ambiente é muito bonito, limpo, organizado, sabe? Dá pra perceber que foi tudo planejado para agradar. Mas sabe quando o tiro sai pela culatra? Pois foi isso que, na minha opinião, aconteceu.

Por exemplo, da disposição das mesas não gostei nem um pouco.
20120917-161258.jpg20120917-161421.jpg
Acho que dá para ver que as mesas estão colocadas de uma forma que atrapalha a passagem dos clientes entre elas. Como me sentei no lado oposto à balança, tive duas opções: dar a volta, indo até o meio do restaurante, ou ziguezaguear entre todas. Achei a primeira menos constrangedora e dei minha volta.

Falando sobre o que interessa, a variedade de pratos é legal e a apresentação é boa, além de o espaço de grelhados ser separado do salão para a pessoa não ficar defumada.

20120917-162029.jpg

20120917-162111.jpg

20120917-162040.jpg

20120917-162125.jpg
Quanto à comida, achei bem marrom. A apresentação dos pratos estava até bonita, mas o sabor ficou devendo. Como era minha primeira vez lá, não quis comer nada muito diferente, então escolhi coisas com as quais meu paladar já está acostumado.
20120917-161618.jpg
A salada de batata e cenoura estava sem sal nenhum. Considerando que eu praticamente não uso sal na minha comida, ter achado a salada insossa quer dizer que sal passou muito longe dela. A de cenoura tomate e abobrinha estava bem temperada, mas não consegui descobrir com o quê.

O risoto de arroz negro com frutos do mar não estava tão ruim quanto parece na foto, mas estava estranho o suficiente para eu não ter identificado o que comi. Desconfio que tinha camarão e lula no prato, mas não apostaria (só aposto com a certeza de ganhar, entende?).

O filé estava duro e isso me deixa sem ter o que dizer, né? Para compensar, o acarajé estava muito bom e a língua perfeita. Na verdade, a língua foi o que melhor escolhi: estava macia e muito bem temperada.

Não comi sobremesa, porque Casa di Maria estava nos planos.

O quilo, se não me engano, é R$ 45,90 e meu prato custou R$ 19,00. Não achei caro, mas não é barato, principalmente para o que experimentei.

Planos de voltar? Nananinanaum.

Anúncios
Esse post foi publicado em Comida. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s