Felicidade Interna Bruta

Há alguns dias escutei uma coisa tão munitinha no Tribunal! Alcinda disse que eu estava muito feliz ao que Ricardo respondeu que eu parecia ter nascido em Butão. Claro que pensei em botão, né? Ignorante que sou, não pensaria nunca em outra coisa, avalie num país!
Fiquei até com medo de falar qualquer coisa a respeito, mas Alcinda me salvou ao me explicar que Butão é um lugar onde todo mundo é feliz. Claro que a informação ficou martelando na minha cabeça, até porque eu achei legal demais para ser verdade.
Como felicidade é algo que muito me interessa, fui pesquisar. Coloquei “Butão” e “feliz” como argumentos de pesquisa no querido Google e de cara descubro que lá existe a Felicidade Interna Bruta. Achei tão lindo isso! Segundo a Wikipédia, “o conceito de FIB baseia-se no princípio de que o verdadeiro desenvolvimento de uma sociedade humana surge quando o desenvolvimento espiritual e o desenvolvimento material são simultâneos, assim se complementando e reforçando mutuamente”.
A FIB foi criada em 1972 pelo rei Jigme Singya Wangchuck e tem como base o bem estar psicológico, a saúde, o uso do tempo, a vitalidade comunitária, a educação, a cultura, o meio ambiente, a governança e o padrão de vida. Detalhe que faz diferença: o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento apóia o FIB. Tem coisa mais linda? Eu achei lindíssimo isso de a ONU dar importância à felicidade, sabe?
A felicidade lá é medida de uma forma muito ideal para a maioria dos demais povos, o que me fez pensar um bocado a respeito da eterna guerra entre ser e ter que a gente sempre houve falar.
No Butão, as pessoas buscam a igualdade e acreditam que quando se vive nas mesmas condições sociais e com estilos de vida parecidos, mais feliz se é. Fiquei imaginando como seria viver num lugar sem fome, sem analfabetismo, com índice de violência perto de zero. O céu, eu acho.
Butão, na minha opinião, merece muito mais do que eu coloquei aqui, mas nos últimos dias não tenho tido condição de escrever com mais afinco. É uma fase e vai passar.
Mas antes que esqueça, o Butão fica entre a China e a Índia, bem na cordilheira do Himalaia e já entrou na minha lista de lugares a conhecer antes de morrer.
Quem se interessar, pode olhar http://felicidadeinternabruta.blogspot.com.br/ ou http://www.felicidadeinternabruta.org.br/.

Anúncios
Esse post foi publicado em Cultura, Turismo. Bookmark o link permanente.

4 respostas para Felicidade Interna Bruta

  1. Flávia Porpino disse:

    Muito legal Amanda!!! Bjs

  2. Ana Carolina Luna disse:

    Amanda, quero ir junto com você!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s