Um dia, quem sabe? Não…

Tem um povo que é chique, né? Gente que anda de chita e parece que está de chiffon de seda. É um povo com postura diferente, andar diferente, portar diferente. O tipo de pessoa que parece que nem é desse mundo, de tão etéreo…

Ok, não tive como não me lembrar dos hologramas do povo que já morreu e apareceu em alguns shows por aí, mas não é disso que estou falando.

Estou falando de ser impalpável viva, daquele jeito que apenas um grupo muito restrito consegue ser. Acho que seria muito mais legal se eu pudesse ser assim, mas, se não aconteceu até agora, não vai rolar.

Meu segundo maior sonho é poder andar maltrapilha e parecer a mais alinhada das criaturas, simplesmente em razão do meu flutuar. Sim, porque essa gente é leve e flutua, não anda.

Vamos combinar que tem dias de eu sair de casa marchando, o que não é bom para ninguém, mas leve demais tenho consciência de que jamais serei. Se conseguir ser um pouquinho menos pesada já vai estar valendo.

Morro de inveja de gente assim, morro! Também quero morrer quando me deparo com gente que prende o cabelo e fica parecendo que fez penteado em salão.

Fico enlouquecida quando vejo meninas lindas (ok, às vezes, nem tão lindas assim), com os cabelos presos com piranha, sabe como? Tem gente que consegue a proeza de ficar bem com isso na cabeça. As vezes que tentei, fiquei parecendo o cão de horrorosa, estilo pedinte morta de fome. Simplesmente, não adorno, não tem jeito; até me desfiz das minhas, para não sair de casa assustando o povo.

Também idolatro quem consegue ficar com cabelo decente de um dia para o outro sem lavar. Se fico um dia sem lavar meu cabelo, o bicho fica grudado na minha cabeça, brilhoso, sem jeito. Se fico dois, a visão é do inferno, porque o óleo deixa o pobre com cara de molhado, mas aquele molhado feio, nojento, consegue visualizar? Vou nem falar no olor que fica nele depois desse tempo todo sem água…

Eu gostaria muito de ficar maravilhosa sem esforço, mas perdi essa fila na época da produção. No mínimo estava passando mal de fome, correndo atrás de um doce, para não cair dura e correr o risco de não vingar.

A boa notícia é que vinguei e meu maior sonho é comer e não engordar, valeu?

Anúncios
Esse post foi publicado em Comportamento. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Um dia, quem sabe? Não…

  1. theophile gautier disse:

    Sempre achei vc leve e elegante. Sempre achei que vc exala luz e seu sorriso com “dentões”, que não são tão grandes, mas que inundam o ambiente com uma alegria quase “Erasmiana” (não sei se esta expressão existe e tem a ver com Erasmo de Roterdã, que dizia que a felicidade plena só se alcança com a loucura e não me entenda mal).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s