Declaração de amor – Neves

Estudei no Colégio Nossa Senhora das Neves desde os meus cinco anos. Escola católica, cuja administração sempre esteve a cargo da congregação das Filhas do Amor Divino, foi sabiamente escolhida por meus pais para me proporcionar o que melhor havia de educação em Natal.
Lembro muito meu teste com Tia Fátima, que me fez um monte de pergunta, que eu não queria responder, porque achava tudo fácil (sim, eu era uma criança sabida). Mainha estava lá e, quem a conhece sabe bem, não me deixa mentir.
Em 1985 começou um período maravilhoso da minha vida, que terminou em 1996, quando terminei o que na minha época era o segundo grau. Costumo dizer que só saí de lá, porque foi o jeito; e foi bem assim mesmo, pois sempre fui apaixonada pelo meu colégio.
Durante esses 11 anos de convivência com a melhor escola do meu universo, posso afirmar que parte da minha minha vida (uma das mais importantes, com certeza) foi talhada naquele lugar, de forma primorosa.
Minha mãe, minhas tias, meus irmãos e alguns primos estudaram lá também e arrisco afirmar que todos têm qualidades que só poderiam ter sido adquiridas através e por causa do Colégio das Neves.
Meus amigos e minhas amigas mais antigos estudaram lá comigo ou na mesma época que eu. Tuca, Alline, Aline, Juliana, Renata, Renatinha, Luciana, Ana Cláudia, Ana Luisa, Silvia, Ericka, Ana Larissa, Thiago, Rostand, Fialho, Marcelo, Gustavo, Valério, Rodrigo, Alexandre, Demétrio e tantos outros com quem convivi e que ainda hoje moram no meu coração.
Aprendi muito do que sei naquele lugar abençoado e belo, que me recebeu de uma forma doce e presente, sem a qual não sei que tipo de pessoa seria.
Tive professores memoráveis, que se preocuparam comigo de forma especial e fazem parte da minha vida até hoje.
Com tia Diva, que não queira ser chamada de tia (mas abriu exceção pra mim e pra Phabiola), aprendi muito do que sei sobre português e nunca esqueci as lições do tipo “mim não faz, quem faz sou eu”, o básico dos básicos.
Ana Régis me ensinou, e a todos que passaram por sua sala, o significado de defenestrar, porque ela achava que era importante que a gente aprendesse uma palavra nova sempre que possível e esse exercício começava com a palavra que define o ato de jogar algo pela janela. Foi aluno de Ana, sabe o que é defenestrar!
Luzimar me ensinou uma matemática que eu adorava e que foi muito além da básica regra de três, porque aprendi com ele uma lógica meio ilógica, mas que faz um bocado de sentido, sabe como?
Kokinho, que se transformou num amigo muito querido, mostrou a mim e a todos os meus colegas que é possível aprender história de verdade, com humor e sem frescura, para simplesmente ter noção da importância de saber e reconhecer o passado. Além, é claro, de ter recitado vários trechos de Pe. Vieira, um plus sem medida!
Maria Luiza, com seu jeito calmo e paciente, ensinou o que a gente precisava saber sobre Balcãs, guerras, geopolítica e tudo o mais que era importante para ninguém correr o risco de ser chamado de alienado por qualquer pessoa.
Djazilda, nossa coordenadora, que por vezes levava o povo ao Soesp, um dos lugares mais temidos do colégio, era no fundo alguém que sempre se preocupou com a gente. Todos os carões que a gente recebeu dela foram certamente merecidos e nos transformaram em pessoas melhores.
Na parte dos esportes, agradeço muito Hosana e Omar pela paciência que tiveram comigo durante tantos anos, porque eu sempre era sofrível nessa área. A pessoa que escolhe o esporte com base no horário que lhe é conveniente nunca vai ser uma atleta, e era assim que eu fazia. Não recomendo, viu?
E Seu Rafa? Impossível não falar em Seu Rafa, que tomou conta de tantos alunos no portão da Segundo Wanderley, que atualmente tem seu nome, o que é uma homenagem muito mais que justa. Ele sabia o nome de todos os alunos que esperavam os pais ali e sabia quem eram os pais de cada um. A importância disso é indescritível.
E os eventos? As festas juninas da época da minha adolescência eram disputadíssimas e alunos de todas as outras escolas faziam questão de ir.
Tinha a Banda Neves, as meninas da GRD (não me acostumo com a ausência do R), a torcida na época do Jern’s, dentre tantas outras coisas pelas quais o colégio era lembrado por sua excelência.
Seria capaz de escrever um livro de memórias sobre meus anos de Neves, lembrando várias pessoas queridas, situações e eventos importantes, externando meu enorme orgulho de ter feito parte de uma história tão bonita, mas agora não consigo continuar.
Estou escrevendo morrendo de chorar, porque amanhã é o churrasco dos ex-alunos, que acontece em comemoração aos oitenta anos do colégio, e vou encontrar muitas dessas pessoas que citei. Estou muito ansiosa e não vejo a hora de adentrar naquele lugar, que foi meu destino diário durante anos muito importantes da minha existência.
Lembro sempre que parte de mim foi moldada naquele espaço, junto daquelas pessoas. Sou e serei sempre muito grata por isso.
Nossa Senhora das Neves, rogai por todos nós e nos abençoe sempre.

20120727-231555.jpg

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

6 respostas para Declaração de amor – Neves

  1. monique maciel disse:

    Amanda que lindo! Venho sempre ler suas lindas palavras! Me vi em tudo isso, inclusive dos amigos… Estou louca que chegue! Beijaoo e ate mais tarde. Ah e nessa sua turma de 85 era a minha tb!!!

  2. Alexandre Pereira disse:

    Amanda, esse texto me fez reviver ótimas lembranças daquele tempo. Não fui para a festa, imagino que tenha sido bacana. Parabéns, tenho certeza que tocou o coração de todos que estudaram nesse colégio inesquecível. Bjs, Alexandre.

  3. Aline Daniele disse:

    Amanda, acabei de let o sei post com os olhos cheios de lágrimas. Tenho certeza que passamos a melhor época de nossas vidas no CNSN – Colégio Nossa Senhora das Neves. Bjs…

  4. Valério Medeiros disse:

    Amanda, seu texto é tomado de emoção e umas saudades daquelas boas que dão razão a nossa vida. Fiquei feliz em ler suas palavras e sentir o passeio nas aulas como tão bem fez. Sinto saudades também de todos aqueles anos, e das nossas vidas naquela altura, cheias de esperanças de adolescentes! Felicidades! E obrigado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s